Skip to main content

Deus deve ser benfiquista…

Diz-se que aquando da criação do mundo Deus, para que os homens prosperassem, decidiu conceder-lhes duas virtudes:

Assim, aos Suíços, fê-los organizados e cumpridores da lei;

Aos Ingleses, persistentes e estudiosos;

Aos Japoneses, trabalhadores e pacientes;

Aos Italianos, alegres e românticos;

Aos Franceses, cultos e refinados;

Quando chegou a vez dos Portugueses, Deus virou-se para o Anjo que tomava apontamentos e disse:
-Estes, vão ser inteligentes, boas pessoas e portistas.

Dito isto o Anjo chamou-lhe a atenção e retorquindo:

-Santo Pai, tu deste a todos os povos do mundo duas virtudes, mas aos Portugueses deste-lhes três. Isso vai fazer com que fiquem beneficiados em relação aos outros povos.

-Caramba – disse Deus – é verdade, mas como as dádivas de Deus não se devem retirar, temos que remediar a situação. De agora em diante, os Portugueses terão essas três virtudes, mas nenhum deles poderá exercer mais de duas em simultâneo.

Por isso, desde então:

1 – Todo o Português que é portista e boa pessoa, não pode ser inteligente;

2 – Todo o Português que é inteligente e portista, não pode ser boa pessoa;

3 – Todo o Português que é inteligente e boa pessoa, jamais poderá ser